Escola Municipal Joana Angélica é entregue à comunidade

Foram construídos dois banheiros, um masculino e outro feminino, uma cantina, além da ampliação do espaço para guardar alimentos e material de limpeza.

No final da semana passada mais uma escola da zona rural foi entregue à comunidade. Com investimentos de cerca de R$ 20 mil a Escola Municipal Joana Angélica, na região da Ingazeira, teve toda a parte estrutural reformada. Foram construídos dois banheiros, um masculino e outro feminino, uma cantina, além da ampliação do espaço para guardar alimentos e material de limpeza.

“Compreendemos a importância do aluno do campo, de conviver e viver bem no campo. A meta é fornecer educação de qualidade ao homem do campo para que ele mantenha no campo uma vida de qualidade, assim, possa promover educação de qualidade para essas crianças”, explica Gilmário.

Para Gilmario Cortes de Oliveira, diretor das Escolas do Campo, é uma satisfação entregar mais uma obra que promove a melhoria das condições de educação da região. “A reforma vem ao encontro das necessidades da escola e dos educandos daquela comunidade e também ao atendimento à professora Carmem, que sempre trabalhou pela escola do campo completando 30 anos de trabalho nessa escola. É uma história muito importante de uma pessoa que iniciou apenas com o ensino médio e hoje já está terminando a pedagogia. Uma vida dedicada à educação”, avalia.

A Escola Joana Angélica vai atender em média 25 alunos dando melhores condições do ensino e da aprendizagem dessas crianças. Com esta obra, chega-se a marca de 18 escolas do campo reformadas, de um total de 28 localizadas na zona rural. Isso sem contar que obras já foram iniciadas em outras três unidades escolares, com o objetivo de que até 2015 todas as escolas do campo estejam reformadas. “Compreendemos a importância do aluno do campo, de conviver e viver bem no campo. A meta é fornecer educação de qualidade ao homem do campo para que ele mantenha no campo uma vida de qualidade, assim, possa promover educação de qualidade para essas crianças”, explica Gilmario.

Texto: Aline Luz – Fotos: Rosenilton Soares – ASCOM/PMBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *