Semed participa do 2° Seminário Política e Gestão da Educação Infantil

IMG-20141009-WA0017

Dificuldade de financiamento da Educação Básica e analfabetismo funcional, que consiste em não dominar leitura e escrita, apesar do relativo avanço em séries iniciais, são algumas das questões abordadas pelo 2° Seminário do Grupo de Pesquisa em Política e Gestão da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio da Uesb, campus de Vitória da Conquista. O evento teve início na manhã desta quarta, 8, no Teatro Glauber Rocha, e acontece juntamente com o 1° Seminário do Programa de Formação de Professores (Parfor/Pedagogia) da Universidade.

O secretário de Educação de Barra do Choça, Ricardo Amorim, fala sobre a gestão educacional no município

O tema do evento é “Política, Gestão e Qualidade da Educação” com o objetivo de analisar os entraves e as possibilidades da política e da gestão educacional para a efetivação de uma gestão democrática da educação.

Entre os problemas da Educação brasileira destaca-se o de gestão, que envolve escolas, diretorias regionais, secretarias municipais e estaduais da área, que nem sempre conseguem atingir as metas traçadas no plano nacional.  Na tarde de ontem foram apresentadas experiências em gestão das Secretarias de Educação na região Sudoeste. A equipe da Secretaria de Educação de Barra do Choça participou do evento apresentando uma palestra sobre o trabalho de gestão que vem sendo realizado no município.

IMG-20141009-WA0003

O trabalho desenvolvido no município de Barra do Choça é extremamente relevante, tendo em vista que a educação pública desse município é referência na região no que concerne a gestão da Secretaria de Educação.

“Os Seminários discutem política, gestão e qualidade da Educação. A nossa perspectiva é fazer uma discussão em torno dessa temática, pensando a questão numa perspectiva macro e micro”, explica a professora Sandra Márcia Campos Pereira, do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas (DFCH) da Uesb, uma das coordenadoras dos eventos. Para o professor Claudionor Alves da Silva, coordenador geral do Parfor na Universidade, “essa é a oportunidade para reunir todos os estudantes que são professores da Educação Básica, na troca de experiências, ideias e socialização da produção do conhecimento que vem sendo desenvolvido ao longo do curso”.

Os problemas de gestão estão diretamente associados à qualificação dos professores. Nesse sentido, embora seja um avanço, o Parfor é uma experiência que precisa se expandir, já que o analfabetismo funcional ainda é uma realidade nas escolas públicas. “O nosso maior desafio na Educação Básica hoje, principalmente nos anos iniciais, é a alfabetização. A maioria dos nossos alunos encerra a primeira fase do ensino fundamental, ou o quinto ano, sem dominar a leitura e a escrita. E a formação do professor é um dos motivos desses índices tão negativos”, pontua Claudionor Silva.

Hoje, dia 9 de outubro, o evento continua com a temática versando sobre o novo Plano Nacional de Educação (PNE).

Texto: Aline Luz/ com informações do site da Uesb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *